Top Ad
Millenium Bim
www.bimcom
A sua banca aqui consigo
Matola Gas Company
www.mgc.com
A força da energia limpa moçambiana!
×

Alerta

Falha ao carregar ficheiro XML

Comissão Eleitoral confirma eleições para este 30 de Dezembro na RDC

Published in Política
sábado, 29 dezembro 2018 16:18
Rate this item
(0 votes)

A Comissão Eleitoral Nacional Independente, CENI tranquilizou, esta sexta-feira, em Kinshasa, que as eleições gerais na República Democrática do Congo (RDC) vão realizar-se ,este domingo, 30 de Dezembro, tal como previsto após o seu último adiamento por uma semana.

 Nangaa falava no termo de uma reunião de troca de informações  entre a Troika de observadores da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), a CENI e os três principais candidatos presidenciais, designadamente Félix Tshisekedi, Martin Fayulu Madidi e Emmanuel Ramazani Shary.

“Este domingo, vamos todos votar. Haverá eleições. Vamos votar o próximo presidente da República e os deputados nacionais e provinciais”, declarou Nangaa aos jornalistas, em Kinshasa, revelando que a reunião foi para apresentar aos candidatos presidenciais o estado dos preparativos do pleito eleitoral.

O presidente da CENI explicou que o encontro, que durou mais de quatro horas numa das salas de reuniões do hotel onde estão instalados os observadores eleitorais internacionais, serviu igualmente para apresentar a Carta de Boa Conduta das eleições, um documento que “compromete os candidatos com a paz”.

Trata-se de um pacto que permite a que as eleições decorram pacificamente, que a verdade triunfe e que os melhores ganhem, indicou Corneille Nangaa Yobeluo.

Ele confirmou igualmente a reposição e o desdobramento do material eleitoral em Kinshasa, depois do incêndio de 13 de Dezembro corrente que alegadamente destruiu cerca 80% de equipamentos e material inicialmente reservado à capital do país.

As declarações de Nangaa surgem numa altura em que persiste algum cepticismo sobre a efectiva realização do pleito eleitoral neste domingo, sobretudo depois do seu adiamento, a 23 deste mês, quando o presidente da CENI alegou “dificuldades técnicas e logísticas” que teriam sido provocadas por aquele incêndio.  

Este cepticismo ganhou corpo nas últimas 72 horas com o anúncio do adiamento parcial do escrutínio, para Março de 2019, nas localidades de Beni e Butembo, na província oriental do Kivo-Norte, e em Yumbi, na província de Mai-Ndombe (oeste), supostamente por razões ligadas à epidemia da febre de Ébola.

Do lado dos candidatos presidenciais, esteve presente no encontro tripartido desta sexta-feira o candidato Martin Fayulu Madidi,  da coligação eleitoral da oposição Lamuka (acorda, na língua lingala), enquanto os outros dois enviaram seus representantes.

Emmanuel Ramazani Shadary, apoiado pela coligação governamental Frente Comum para o Congo (FCC), fez-se representar pelo senador Jean-Claude Mokeni, ao passo que Félix Tshisekedi, que concorre pela coligação Cap pour le Changement (CACH), enviou o seu director de campanha e candidato presidencial desistente, Vital Kamerhe.

Para estas eleições, estão inscritos cerca de 40 milhões de eleitores, de um universo de quase 80 milhões de habitantes, que devem eleger um novo presidente da República e uma nova Assembleia Nacional (Parlamento) de 500 membros, para além de deputados provinciais para as 26 províncias do país.

Geograficamente localizada na África Central, a RDC é o segundo maior país de África, depois da Argélia, com uma superfície de dois milhões e 300 mil quilómetros quadrados.

O país caminha para eleger o seu quinto presidente, desde a Independência da Bélgica, em 1960, depois de Joseph Kasa-Vubu (1960-1965),  Mobutu Sese Seko (1965-1997),  Laurent-Désiré Kabila (1997) e o actual Joseph Kabila Kabange.

 As últimas sondagens de um grupo de pesquisa sediado em Nova Iorque, nos Estados Unidos, colocam Martin Fayulu como favorito com perto de 44% das intenções de voto, à frente de Félix tshisekedi com 23% e Emmanuel Shadary com 18%.

O senador e antigo vice-presidente da RDC, Jean-Pièrre Bemba, bem como o milionário e antigo governador provincial de Katanga, no sul do país, estão entre os principais aliados de de Martin Fayulu, depois de verem invalidadas pelo Tribunal Constitucional as suas candidaturas à Presidência da República. (RM-Angop)

Read 273 times Last modified on domingo, 30 dezembro 2018 07:54

Escolha do editor

Publicidade

Rádios Online

Antena Nacional

EP Gaza

EP Sofala

RM Desporto

EP Nampula

Inquerito

O que acha do nosso novo website?

Meteorologia

Maputo, MZ

Programação

Contacto

Direcção de Informação: email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; Fixo 21 42 99 08, Fax 21 42 98 26 | Rua da Radio N 2, P.O.Box 2000 | Rádio Moçambique, EP

Conecte-se Connosco